COVID-19: o que é preciso saber sobre a vacinação no público pediátrico

Crédito: Wynitow Butenas

Ministério da Saúde incluiu a vacina no calendário nacional, e Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância da imunização

A imunização contra a COVID-19 entrou oficialmente no Calendário Nacional de Vacinação a partir de 2024. O público-alvo são crianças, idosos e grupos considerados prioritários. O objetivo é aumentar a cobertura, assim como aconteceu com outras vacinas em 2023. Entre as crianças, apenas 5,5% da população com 6 meses a 3 anos de idade tomou as três doses recomendadas. Na população de 3 a 4 anos, a cobertura vacinal com as três doses é de 5,7% do total.

O Pequeno Príncipe, maior e mais completo hospital exclusivamente pediátrico do país, reforça a importância da vacinação contra a COVID-19. “A imunização é crucial para amenizar a propagação do vírus e proteger as crianças de formas graves da doença”, diz o infectologista Victor Horácio, vice-diretor de Assistência e Ensino da instituição.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, os números demonstram que as crianças não estão isentas das formas graves e letais da doença, como a síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P). Entre janeiro e agosto de 2023, foram registrados 3.441 casos e 84 óbitos decorrentes de SRAG por COVID-19 na população menor de 1 ano de idade.

COVID longa

O médico do Pequeno Príncipe ressalta também que a vacina é uma importante aliada na proteção de crianças frente às sequelas da infecção, a chamada COVID longa, caracterizada por qualquer sintoma persistente após três meses da infecção pelo coronavírus ou pelas complicações que surgem logo após a contaminação. Associados a esse quadro podem surgir problemas sérios, como insuficiência respiratória, miocardite (inflamação no músculo que bombeia o coração), impactos emocionais que levam à ansiedade e depressão, e até dificuldade na aprendizagem.

Doses

O imunizante já está disponível gratuitamente no SUS para toda a população acima de 6 meses de idade. Para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, o Ministério da Saúde informa que a vacinação contra a COVID-19 é constituída por três doses, que deverão ser aplicadas seguindo os intervalos recomendados: primeira dose para segunda dose: intervalo de quatro semanas; e segunda dose para terceira dose: intervalo de oito semanas.

Prioridades

Após os 5 anos de idade, apenas as crianças que integram os grupos prioritários receberão uma dose de reforço em 2024. São eles: os imunocomprometidos; com comorbidades e deficiência permanente; indígenas; ribeirinhos; quilombolas ou que vivem em instituições de longa permanência e em situação de rua. Além das crianças, pessoas em privação de liberdade maiores de 18 anos; adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas; trabalhadores que atuam com esses públicos; e trabalhadores da área da saúde e de instituições de longa permanência, bem como a população em situação de rua, também serão.