Alergias do inverno

Jerusa Miqueloto, hematologista do Laboratório Frischmann Aisengart, dá dicas sobre como prevenir as alergias típicas da estação

Os alérgicos representam cerca de 30% da população e são os mais atingidos com a chegada do inverno. Nessa época do ano eles sofrem com o desencadeamento de crises decorrentes do vírus de gripe e com as infecções de vias aéreas superiores. É o que explica a hematologista Jerusa Miqueloto, integrante do corpo clínico do Laboratório Frischmann Aisengart.

A especialista afirma que mudanças de hábito decorrentes da chegada do inverno também colaboram para prejudicar a saúde, pois é nesta estação que as pessoas tendem a ficar dentro de casa com portas e janelas fechadas para evitar a entrada do frio. Estudos mostram que cerca de 86% do tempo a população fica em ambientes fechados, seja no ônibus, na escola, no trabalho ou no shopping. “A aglomeração de pessoas nesse tipo de ambiente favorece a transmissão de vírus e bactérias, um dos principais responsáveis pelas doenças de inverno”, diz Jerusa.

A hematologista também lembra que o inverno é o momento de tirar as roupas de lã e cobertores do armário. “O vestuário de inverno costuma ficar dentro do guarda-roupa por um ano inteiro e, quando é retirado, está cheio de bolores, fungos e outros aeroalérgicos que ficam em suspensão no ar por muito tempo”, alega. Jerusa recomenda que as roupas de inverno, antes de serem usadas, sejam lavadas com água quente e que se aplique 50 ml de alguma substância fungicida (fungicil, por exemplo) na água de enxágue para, depois, deixar secando ao sol e, finalmente, passar a peça com ferro quente. O próprio guarda-roupa também deve ser limpo com pano úmido com fungicil.

Quanto ao quarto ideal para indivíduos que sofrem com o agravamento de doenças alérgicas no inverno, segundo a especialista, o piso deve ser lavável, sem cantos que acumulem pó e o carpete, se necessário, deve ter tratamento contra fungos e bactérias, o que não pode ser usado em casas com animais domésticos. A cama merece um tratamento especial, pois é nela que se acumula a maior quantidade de ácaros, grande inimigo da saúde dos alérgicos.

Dessa forma, colchões e travesseiros devem conter capas antiácaros e as cobertas não podem ser felpudas, priorizando o uso de edredons. A estante de livros e outros objetos deve estar sempre limpa e, nas janelas, persianas a cortinas de pano. Essas medidas visam a evitar o acúmulo de poeira, principal alimento do ácaro, e diminuir a chamada “poluição doméstica”. “Cuidados como esses podem, pelo menos, ajudar a melhorar a qualidade do ar de nossas casas, onde passamos a maior parte do nosso tempo”, conclui Jerusa.

 Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart completa 71 anos e é considerado uma referência para o segmento de medicina diagnóstica. Possui mais de 600 colaboradores e mais de 35 unidades no Paraná. São mais de três mil tipos de exames de análises clínicas, soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, além do serviço de vacinas. Para mais informações: www.labfa.com.br ou (41) 4004-0103.  Siga o Frischmann Aisengart nas redes sociais: Blog – blog.labfa.com.br; Facebook – facebook.com/laboratorio.fa.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.