Em meio à pandemia, Zukerman Leilões vai leiloar mais de 330 imóveis em maio

Empresa referência nesse segmento é a responsável pelos leilões de casas, apartamentos, terrenos e prédios comerciais com preços abaixo do valor de mercado em todo o país

Mesmo com a pandemia do coronavírus, o mês de maio pode ser a oportunidade perfeita para quem deseja comprar um imóvel. A plataforma Zukerman Leilões está com 330 imóveis abertos para lances dos interessados, que podem participar de forma online. As propriedades oferecidas são casas, apartamentos, terrenos, galpões, áreas rurais e prédios comerciais, ocupados e desocupados. Os valores dos lances vão de R$ 3 mil a R$ 69 milhões.

Os bens estão localizados em todo o Brasil, com oportunidades em todas as regiões, nos seguintes estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Bahia, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Tocantins, Paraíba, Amazonas, Alagoas, Sergipe, Ceará, Maranhão, Pará, Piauí, Pernambuco e no Distrito Federal.

É possível encontrar lotes de leilões judiciais e extrajudiciais de diversas instituições financeiras, como Bradesco, Santander Brasil, Banco Inter, Banco Pan e Banco Daycoval. Os valores estão abaixo do mercado, e o pagamento pode ser à vista ou parcelado, dependendo do imóvel escolhido.

Para participar da negociação e ofertar lances nos imóveis, os interessados devem se cadastrar no site da Zukerman Leilões, ler atentamente o edital do lote desejado e se habilitar para o leilão. Depois de habilitado, basta dar os lances no imóvel para ter a chance de arrematá-lo.

Com mais de 30 anos no setor, a Zukerman Leilões realiza leilões judiciais (quando a propriedade tem origem em um processo cível, trabalhista, de falência, em execuções fiscais ou dívida de condomínio) e extrajudiciais (de pessoas físicas, jurídicas e instituições bancárias), de forma on-line, presencial e simultânea, para que milhares de pessoas tenham a oportunidade de conquistar o imóvel dos seus sonhos em qualquer lugar do Brasil.

[email protected]

Comments are closed.