Viajar no pós-pandemia: confira as principais tendências do turismo 

Viajar no pós-pandemia: confira as principais tendências do turismo 

Foto de Vinicius Pontes no Pexels

Com a retomada dos voos e abertura gradual de destinos turísticos nacionais, viajantes já estão com planos para o pós-pandemia. As medidas preventivas adotadas pelas companhias aéreas, setor hoteleiro, comércio e pontos turísticos demonstraram-se úteis tanto para conter o contágio da COVID-19 quanto para assegurar as pessoas da sua segurança ao viajar em território nacional. 

Confira abaixo cinco tendências de viagem para o turismo após a pandemia. 

 

  • Hiperconexão

 

O que vai ajudar os viajantes a tomar decisões em relação aos destinos turísticos é a informação. De acordo com um estudo da consultoria Lab Turismo para o Sebrae, os consumidores observarão as atitudes das empresas com relação aos cuidados tomados para proteger os clientes. 

O consumo digital aumentou 80% ao longo do isolamento social, aproximando viajantes de notícias e informações importantes. Neste ambiente ainda mais hiperconectado, a comunicação constante com o consumidor será a chave para atraí-lo. Os viajantes procurarão pelos protocolos sanitários implementados no local, as regras de convívio para promover a segurança (como distanciamento social), e canais de comunicação ágeis para sanar dúvidas. 

 

  • Desejo de viajar

 

Muitos viajantes pretendem viajar apesar da pandemia. É o que aponta um estudo da Vivo Ads, plataforma de anúncios e marketing da Vivo, realizado em maio. Aproximadamente 59% dos brasileiros possuem planos de viagem. Cerca de 36%, contudo, querem viajar somente em 2021, sendo que 29% das respostas indicaram o Nordeste como destino nacional preferido. 

Os destinos precisarão inovar para fisgar turistas ainda em 2020. Em Foz do Iguaçu, por exemplo, a construção de lojas francas pretende atrair viajantes com desejos e necessidades de compras. Com a fronteira com o Paraguai ainda interditada e o segundo fechamento das Cataratas do Iguaçu e da Itaipu Binacional para visitação, o município precisou repensar o turismo local. 

 

  • Destinos domésticos

 

Os brasileiros desejarão conhecer o próprio país em vez de se aventurarem em terras estrangeiras. Esta tendência pode estar relacionada a dois fatores: insegurança proporcionada por uma viagem internacional e atitude de consumo mais frugal. 

Portanto, as companhias aéreas deverão disponibilizar mais passagens promocionais para sanar essa demanda. Os programas de milhagens das principais empresas brasileiras, a Azul, a GOL e a Latam, vêm ofertando uma série de promoções de acúmulo de pontos. 

Uma pesquisa da Criteo revelou que esses programas são também ótimas formas de fidelização de clientes neste cenário de reconquista de consumidores.

Do mesmo modo, programas de recompensas que possibilitarem a aquisição de passagens áreas para destinos nacionais também deverão despertar o interesse dos consumidores. Pensando nisso, as empresas começaram a se mexer, como o Itaú, que lançou um novo programa de fidelidade, o Iupp Itaú

 

  • Novas preferências 

 

Viajar no pós-pandemia: confira as principais tendências do turismo 

Foto de Tomas Anunziata no Pexels

As viagens deverão ser curtas e para locais próximos. Em vez da hospedagem em hotéis ou, principalmente, em hostels, a preferência será por casas. Conforme o estudo da Lab Turismo para o Sebrae, os turistas darão valor às experiências de viagem mais do que nunca. 

Neste contexto também se enquadra o desejo por um atendimento humanizado. É esperado que as empresas e os próprios turistas sejam mais colaborativos devido aos momentos de fragilidade vivenciados na pandemia.

 

  • Ecoturismo

 

O ecoturismo será uma das maiores tendências para o pós-pandemia. Isto é, os viajantes procurarão por destinos da natureza, afastados de grandes centros urbanos, para evitar aglomerações. As praias, os parques nacionais e zonas rurais serão muito procurados pelos brasileiros, criando uma nova demanda no mercado turístico.

Por conseguinte, tanto as companhias aéreas quanto os hotéis e atrativos turísticos deverão abraçar esta tendência. Algumas empresas já começaram a disponibilizar trechos mais em conta para incentivar as viagens nacionais, como pode ser visto no voegol.

m.p.a

Comments are closed.