Pesquisa constata que 44% fizeram menos exercícios durante a pandemia

É fato que o sedentarismo é um importante gatilho para as doenças cardiovasculares.  De acordo com pesquisa realizada pela Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo – SOCESP, entre uma população que já se caracteriza por não praticar exercícios rotineiramente, – 65,8% afirmam serem sedentários – o isolamento social surtiu efeito ainda mais negativo: a maioria dos consultados, 44,0%, admitiu ter feito ainda menos atividade física durante a pandemia. O dado é preocupante porque o sedentarismo é um dos dez principais fatores de risco para a mortalidade global, causando cerca de 3,2 milhões de óbitos a cada ano.

Mas se o cenário já não era promissor, os resultados do levantamento da SOCESP são ainda mais preocupantes: 44,3% dos entrevistados ganharam peso no período de combate à Covid-19. A obesidade e sobrepeso, assim como o sedentarismo, podem causar hipertensão, diabetes, colesterol elevado, entre outros fatores de risco para o infarto e o AVC.

Este novo cenário se explica: “com a progressão e propagação da pandemia e o consequente confinamento, muitos se tornaram mais sedentários e (ou) comeram e beberam além do habitual. A consequência foi o aumento de peso,  da ansiedade e até da depressão”, comenta o cardiologista Claudio Aparicio S. Baptista. “O quadro também levou a um descontrole de doenças cardiovasculares em indivíduos com essa pré-existência, aumentando os riscos de complicações.”

Para o médico, a luta contra o sedentarismo é uma bandeira que deve envolver entidades médicas e políticas públicas que deixem claro os prejuízos que a inatividade física pode acarretar. “Mas, além disso, estamos há um novo desafio: conscientizar aqueles que já praticavam exercícios e contraíram o novo coronavírus sobre a necessidade de medidas protetivas antes de voltarem à rotina esportiva porque há chance de terem herdado sequelas cardiovasculares.”

Como Reabilitar o Paciente pós-Covid para Atividades Físicas e Esportes é justamente o tema da palestra do cardiologista no 42º Congresso de da SOCESP, que acontece nos dias 16, 17 e 18 de junho, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. “Para essas pessoas, há ainda muitas dúvidas sobre o que deve ser feito antes de reiniciar os treinos”, diz o especialista. “Algumas orientações são básicas: independente da sua performance ou do nível da atividade física, o alerta é claro: aqueles que foram contaminados devem passar por uma avaliação cardiológica, a chamada APP (avaliação pré-participação). O procedimento é necessário para saber se a ação do vírus provocou danos ao sistema cardiovascular.”

Outro alerta é nunca seguir conselhos cientificamente não embasados e, ao retomarem, que não excedam a capacidade individual. “Mesmo diante de todos estes cuidados, ao menor sintoma de desconforto cardiorrespiratório é importante reavaliar o estado de saúde.”

Serviço:

42º Congresso de Cardiologia da SOCESP

Data do evento: 16 a 18 de junho 2022

Local: Transamerica Expo Center, São Paulo/SP

Informações: http://socesp2022.socesp.org.br/

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui