BOLSA DE VALORES – A BOLA DA VEZ

No Brasil, a cultura de se investir está apenas começando. Segundo a Agencia Brasil, a Pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) mostra que 58% dos brasileiros não têm nenhum investimento financeiro. Segundo o levantamento, dos 42% que têm alguma aplicação, apenas 9% fizeram algum aporte em 2017.
Segundo o assessor de investimentos da Intertrading, André Novais, os brasileiros ainda não conhecem os produtos para investimento e, quando conhecem, são produtos indicados por suas instituições bancárias. “Todo investimento requer conhecimento em educação financeira. Os objetivos a curto, médio e longo prazo devem ser claros para traçar os objetivos de cada investidor, e definir em qual produto investir”, afirma.
Para 2019, o especialista aposta na bolsa de valores. “Nos noticiários os brasileiros frequentemente ouvem falar na bolsa de valores, mas não sabem como começar e muitas vezes não têm conhecimento para acompanhar as variações diárias dessa modalidade”, afirma.
Mas o que é bolsa de valores? A bolsa de valores é um mercado online em que os investidores se encontram para negociar ações de empresas e outros produtos financeiros. Este tipo de investimento surgiu como um meio para que investidores (poupadores) e empresas pudessem se encontrar na busca por interesses comuns: investidores querem fazer render seus recursos enquanto as empresas necessitam de capital financeiro para investir em suas atividades produtivas e comerciais. Tal combinação resulta em crescimento das empresas e grande geração de riqueza para a sociedade e os acionistas da companhia.
“A bolsa de valores abre a possibilidade de qualquer pessoa investir em uma empresa de capital aberto e com isso tornar-se sócia de uma empresa de grande porte. Com a taxa de juros no menor patamar histórico e a perspectiva de crescimento do PIB com o retorno da confiança na economia, investimentos em bolsa tornam-se uma alternativa interessante para este ano”, completa André.
A expectativa da área de análise da XP Investimentos é de que o índice Bovespa possa atingir até 125 mil pontos ao longo de 2019. “A agenda de reformas encabeçada pelo atual governo gera um cenário benigno para o crescimento da economia, aumento do investimento e fortalecimento do real frente ao dólar. Com isso espera-se que haja menor percepção de risco e maior alocação de recursos dos estrangeiros no mercado brasileiro de ações”, comenta o assessor.
“Porém, é importante ressaltar que o investimento em ações carrega riscos de variações muito mais elevados do que, por exemplo, a renda fixa. É exatamente o risco que faz com que uma ação tenha a possibilidade de se valorizar em 30%, 60% ou até 100% em um ano. O investimento em ações deve ser realizado com uma porção do seu patrimônio o qual você esteja confortável em correr riscos de variações. O fato de a área de análise da XP estimar uma alta de até 30% na bolsa não significa que você deva alocar os seus recursos de forma demasiadamente agressiva”, afirma o assessor. “Há questões internacionais que podem atrapalhar a alta de nossa bolsa, como guerra comercial entre EUA e China e o próprio Brexit.”
O assessor explica que hoje em dia o processo de se comprar e vender ações na bolsa é extremamente simples. Após analisar o perfil de cada investidor, os assessores de investimentos podem auxiliar seus clientes em como alocar seus recursos. “Qualquer pessoa pode comprar uma ação na bolsa de valores, não existe limitações de valor ou quantidade”, explica.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu