Como estimular a inteligência emocional em sua empresa

 

A habilidade é essencial para os chefes e pode transformar as relações interpessoais e o desempenho no ambiente de trabalho

O futuro do mercado de trabalho está atrelado às capacidades humanas de adaptabilidade e flexibilidade. Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial de 2016, 35% das habilidades exigidas na maioria das profissões se transformariam até o ano de 2020. Essas mudanças têm muito a ver com as habilidades que não podem ser executadas por máquinas no dia a dia corporativo.

A inteligência emocional é uma dessas soft skills, já amplamente requisitada nos processos seletivos das empresas. Mas, tão importante como é nos funcionários, ela se faz fundamental no comportamento dos líderes e gestores. Este foi o tema do evento do Comitê de Empreendedores da Amcham Curitiba (Câmara Americana de Comércio), realizado nesta terça-feira (22/6), que contou com a presença do estrategista de Liderança e Negócios, Rodrigo Collino.

A inteligência emocional é construída sobre os pilares do autoconhecimento, da autogestão, da consciência social e da gestão de relacionamento, passando por fatores como a empatia, a adaptabilidade e a administração de conflitos. Para o psicólogo Daniel Goleman, que cunhou o termo, 66% do sucesso e dos resultados alcançados pelos líderes deve-se à sua capacidade de gestão das emoções. O percentual é de 33% para as demais funções.

A informação foi reforçada pelo palestrante: “Quanto mais responsabilidade eu ganho, mais inteligente emocionalmente eu tenho que ser. Isso, para os líderes, significa saber construir laços de confiança”, explicou Collino.

Os desafios dos gestores emocionalmente inteligentes

Um líder que sabe administrar as suas emoções e estimular essa capacidade em seus liderados é capaz de induzir melhoras no relacionamento entre todos da empresa e em sua produtividade, com o desenvolvimento da comunicação interpessoal, da empatia e da negociação. “Quanto mais as empresas puderem trazer a inteligência emocional para as reuniões periódicas do time, melhores serão os resultados profissionais de cada integrante”, analisa o estrategista.

Durante o encontro, os empresários participantes compartilharam as suas principais dificuldades em fomentar esse processo. Para eles, lidar com o próprio ego, conseguir promover debates em processos de tomada de decisão, colocar-se no lugar do funcionário e conscientizar a equipe da importância do autoconhecimento podem ser verdadeiros desafios.

Como desenvolver a inteligência emocional em sua empresa?

Estas quatro dicas expostas pelo Comitê de Empreendedores da Amcham Curitiba podem ajudar os gestores a desenvolver uma cultura de gestão das emoções, incentivando competências como o controle emocional, a consciência organizacional e o trabalho em equipe.

  • Construa confiança: Sem confiança, as pessoas não sentem vontade de se engajar para dar o seu melhor. Construir laços de confiança é essencial para desenvolver o potencial de cada indivíduo e a inteligência coletiva na empresa.
  • Aumente sua reserva emocional: A inteligência emocional possibilita um melhor uso dos recursos cognitivos, desde que exista uma reserva emocional. Para construí-la, invista em bons hábitos de alimentação e hidratação, qualidade de sono e descanso em geral, exercícios e meditação, pequenas recompensas cotidianas após tarefas complicadas e tempo para refletir e fazer uma análise crítica do seu dia a dia.
  • Suba a barra: Você sobe a barra quando aumenta o referencial do grupo sobre a realização de uma tarefa. Aqui, o importante é estimular a equipe a se adaptar a mudanças. Exponha-os a situações que elevem a barra, mas sem deixar de respeitar os seus limites.
  • Seja vulnerável: Vulnerabilidade e coragem caminham juntas na liderança. Mostrar um pouco das suas fraquezas pode ajudar a se aproximar da equipe e construir um ambiente de colaboração.

 

Sobre a Amcham Curitiba

A Amcham Curitiba (Câmara Americana de Comércio) faz parte de uma das maiores associações de empresas do Brasil, com 15 filiais em todo o país e mais de 5,2 mil empresas associadas. O objetivo da Amcham é criar um ambiente favorável de negócios por meio de boas práticas de mercado, capacitação profissional e cidadania empresarial. A instituição visa facilitar relações empresariais, gerar negócios, ser ponte no relacionamento governamental e internacional, além de prover conteúdos que amplificam o conhecimento de seus associados. Em 2020, a Amcham Curitiba completou 20 anos no Paraná e reúne hoje mais de 300 empresas associadas.

Últimas notícias

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui