Psicopedagogia e o transtorno do espectro autista 

* Bruno Luis Simão 

A psicopedagogia é uma área de estudo que busca entender e intervir nos processos de aprendizagem, considerando aspectos cognitivos, emocionais e sociais dos indivíduos. Quando se trata do autismo, a atuação da psicopedagogia é fundamental para auxiliar no desenvolvimento das habilidades sociais e de comunicação das pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista). 

O autismo é um transtorno neurobiológico que se manifesta na primeira infância e que afeta a capacidade de comunicação, interação social e comportamento. Cada indivíduo com autismo apresenta um perfil único de características, e por isso, uma intervenção psicopedagógica deve ser individualizada e adaptada, conforme as necessidades de cada pessoa. 

Um dos principais objetivos da psicopedagogia no autismo é promover o desenvolvimento de habilidades sociais e de comunicação, que são desafios comuns para pessoas com TEA. Para isso, são utilizadas estratégias que visam estimular a comunicação verbal e não-verbal, a interação social e a compreensão de situações sociais. 

Outro aspecto importante da intervenção psicopedagógica no autismo é o desenvolvimento da autonomia e independência, para que as pessoas com TEA possam ser mais autônomas em suas atividades. São trabalhadas habilidades como a organização, planejamento e execução de tarefas. 

Além disso, a psicopedagogia também pode atuar no suporte à família, oferecendo orientação e apoio para lidar com os desafios do autismo no dia a dia. A família é um elemento fundamental no processo de desenvolvimento das habilidades das pessoas com TEA, e o suporte psicopedagógico pode ser um importante aliado nesse processo. 

O psicopedagogo pode auxiliar uma pessoa com autismo de diversas maneiras, de acordo com suas necessidades e habilidades individuais. Algumas das formas pelas quais o psicopedagogo pode ajudar são: 

  • Identificar as habilidades e dificuldades de aprendizagem da pessoa com autismo: o psicopedagogo pode realizar uma avaliação para identificar as áreas em que a pessoa tem mais dificuldade e as habilidades que já possui, para poder planejar as instruções educacionais mais adequadas para a sua necessidade. 
  • Desenvolver estratégias pedagógicas específicas: com base na avaliação das habilidades e dificuldades, o psicopedagogo pode elaborar um plano de intervenção individualizado, que incluiu estratégias pedagógicas específicas para a pessoa com autismo, buscando estimular suas habilidades cognitivas e sociais. 
  • Trabalhar a comunicação e a interação social: uma das principais dificuldades das pessoas com autismo é a comunicação social. O psicopedagogo pode desenvolver estratégias para estimular a comunicação verbal e não-verbal, a interação social e a compreensão de situações sociais, promovendo assim, uma maior inclusão social. 
  • Fomentar a autonomia e a independência: o psicopedagogo pode auxiliar na promoção da autonomia e independência da pessoa com autismo, trabalhando habilidades como organização, planejamento e execução de tarefas, buscando desenvolver sua autonomia e independência em suas atividades autônomas. 
  • Apoiar a família: o psicopedagogo pode oferecer orientações e apoio para a família, auxiliando no manejo dos desafios que envolvem a rotina de uma pessoa com autismo, oferecendo estratégias de comunicação e interação social, ajudando a compreender o comportamento e trabalhando na promoção do bem-estar da família e do indivíduo. 

Assim, a psicopedagogia é uma área que tem muito a contribuir para o desenvolvimento das pessoas com autismo, com surpresas que visam estimular habilidades sociais, de comunicação, autonomia e independência. O trabalho da psicopedagogia pode ser um importante complemento ao tratamento multidisciplinar do autismo, oferecendo suporte individualizado e adaptado às necessidades de cada pessoa. 

 *Professor Bruno Luis Simão é licenciado em Pedagogia, Normal Superior com Habilitação em Educação Infantil, Educação Física. Especialista em Psicopedagogia, Educação Especial e Inclusiva, Ludopedagogia, Psicomotricidade, Neuropsicopedagogia, e Formação Docente para EAD, e professor da Área de Educação, da Escola Superior de Educação, do Centro Universitário Internacional Uninter.